Novidades / ATUALIZAÇÃO SOBRE VITAMINA D

Atualização sobre vitamina D

A Vitamina D é uma vitamina lipossolúvel que apresenta ação hormonal. Sua ação mais conhecida é garantir a homeostase do metabolismo do cálcio e dos ossos, porém, suas atividades são descritas em todas as áreas do metabolismo humano.

Dados recentes mostram que manter a vitamina D (25OHD sérica) entre 30ng/ml e 50ng/ml reduz a mortalidade por todas as causas, sendo que sua toxicidade, mesmo sendo baixa, começa a ocorrer com níveis séricos superiores a 100ng/ml.

Em termos epidemiológicos, a deficiência de vitamina D (25OHD sérica < 30ng/ml) se espalha por todo território brasileiro, em diversas faixas etárias, tornando sua suplementação uma conduta imprescindível.

Vejamos abaixo algumas situações metabólicas onde a conduta da prescrição de vitamina D é indicada para:

1 – Tratamento da disbiose intestinal e de pacientes com doenças inflamatórias intestinais pois é estimulante da cicatrização da mucosa além de promover imunomodulação local.

2 – Garantir absorção intestinal de cálcio, prevenção e tratamento da osteomalácia, osteoporose e melhora da estrutura e estabilidade dos dentes.

3 – Redução da resistência à insulina, melhora do controle glicêmico e tratamento da diabetes tipo 1 e 2.

4 – O tratamento da endometriose, na Síndrome do Ovário Policístico e na função das adrenais, regulando o cortisol.

5 – Garantir o adequado desenvolvimento do feto bem como reduzir o risco de diabetes, obesidade, eclampsia e depressão pós-parto.

6 – Prevenção do câncer de tireoide, no tratamento de câncer de mama, na redução da progressão do tumor de próstata e outros tipos de câncer.

7 – Controlar a produção e renovação de neurônios e células neurais, bem como a formação dos diversos neurotransmissores, com melhora do foco e do humor. (dopamina, serotonina, acetilcolina, GABA).

8 – Melhorar a força muscular e performance física em idosos.

9 – Melhorar os sintomas de pacientes com doenças autoimunes e degenerativas como Esclerose Múltipla, Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) e Artrite Reumatoide.

10 – Reduzir a inflamação e regular a imunidade do paciente obeso e pós cirurgia bariátrica.

11- Aumentar a atividade de enzimas de detoxificação de xenobióticos.

Para as diversas situações metabólicas citadas, sempre que os níveis séricos de vitamina D estiverem entre 10 e 30ng/ml, especialistas sugerem que doses de até 10.000 UI/dia não acarretam risco e que as recomendações da suplementação de vitamina D podem seguir conforme descrito abaixo:

Faixa etária / Dose limite recomendada

  • Neonatos (até 1 mês de vida): 1.000 UI/dia.
  • Bebês e crianças entre 1 mês e 10 anos: 2.000 UI/dia.
  • Crianças e adolescentes entre 11 e 18 anos: 4.000 UI/dia.
  • Adultos e idosos: 4.000 UI/dia a 10.000UI/dia

Apesar das inúmeras referências indicando doses individualizadas e específicas conforme descrito acima, a prescrição de suplementação para nutricionistas no Brasil deve seguir a última resolução da ANVISA (Publicada no DOU no 144, de 27 de julho de 2018) que determina que a dose limite deve ser de 2.000UI/dia de vitamina D.

Créditos:

Dra. Roseli Rossi – Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica e Funcional (CRN 2084)

Clínica Equilibrio Nutricional

Tel.:(11) 2672-7300 | WhatsApp 11 97334-9847

E-mail: equilibrio@equilibrionutricional.com.br

Site: www.equilibrionutricional.com.br